Agentes da mudança

Wendy Abbott: Resolução de problemas com software

“Há pessoas por esse mundo fora a usar esta tecnologia diariamente e o seu trabalho está a tornar-se mais produtivo.”

Tocar, deslizar, arrastar: Por detrás da mais recente interface de impressoras ConnectKey®

A gestora de programação de software Wendy Abbott dedicou os últimos seis anos da sua carreira à tecnologia de interface ConnectKey. A par do seu desenvolvimento profissional, Wendy tem desempenhado um papel integrante na evolução do modo como os utilizadores podem tirar o máximo partido dos seus dispositivos com ConnectKey, incluindo os novos MFP da Xerox®.

 

Como tudo começou

Wendy sentiu-se atraída desde cedo pelas soluções criadas pela montagem de puzzles de fórmulas e figuras matemáticas. Na escola secundária, teve o primeiro contacto com os fundamentos da codificação de computadores participando num curso de verão patrocinado pela IBM. Todos os dias, praticava o agrupamento de diferentes sequências que levavam um computador a realizar uma ação planeada. Wendy aprendeu rapidamente que o seu interesse pela matemática podia ser combinado com a criatividade na conceção de algoritmos para produzir uma solução tangível.

Quando Wendy entrou para a faculdade, o pai, professor de uma escola comunitária, sugeriu a ciência informática como uma área de estudo. Perante os seus interesses e futuros percursos profissionais, parecia uma boa ideia. Depois de completar o primeiro semestre, nunca mais olhou para trás. Os aspetos de que mais gostava em matemática, na resolução de problemas e na exploração de interfaces de computadores consolidaram a sua carreira futura em engenharia de software.

“Sempre tive uma inclinação para trabalhar na parte do software ligada à interface do utilizador, principalmente porque gostava de pensar na maneira como o cliente iria interagir com o dispositivo e como escrever o próprio software”, disse Wendy. “Hoje em dia, a inteligência computacional está em tudo, e não apenas nos lugares mais óbvios, como as aplicações nos nossos smartphones. O software está no copiador, no carro, talvez até no frigorifico!”

ConnectKey user interface

Uma carreira na Xerox: O caminho até ao ecrã tátil

Wendy começou a sua carreira na Xerox como engenheira de software e tem trabalhado com várias famílias diferentes de produtos ao longo dos anos. Nas suas funções atuais, o âmbito alargado do trabalho requer a capacidade de investigar e entender os pormenores técnicos num minuto e, em seguida, dar um passo atrás, observar o quadro geral e tomar decisões estratégicas no minuto seguinte. “Pode ser um desafio, mas eu aprecio a variedade que esta função proporciona”, diz Wendy.

Desde que Wendy começou a trabalhar na tecnologia de interface ConnectKey como programadora de software, o objetivo principal foi criar um ecossistema de produtividade dinâmico. Imagine-se um ambiente de escritório onde todos os dispositivos de impressão têm as mesmas funções e funcionalidades básicas. “As nossas impressoras fazem mais do que simplesmente digitalizar, enviar faxes e copiar. São motores de produtividade que nos ajudam a fazer mais, mais rapidamente ”, afirmou Wendy.

No final da década de 2000, à medida que os smartphones e tablets sem botões se transformavam na plataforma normalizada para navegar pelas funções dos dispositivos eletrónicos, a equipa de Wendy começou a trabalhar numa interface que fosse apelativa para os utilizadores.

“Tocar, arrastar e deslizar parece ser uma segunda natureza para manipular o conteúdo virtual”, disse Wendy. “Ao idealizar um aspeto e um toque familiares (como um smartphone), os utilizadores sentem-se menos intimidados para aprender a usar o próprio dispositivo. Podem então concentrar-se na utilização da tecnologia em seu benefício e sentir-se gratificados com o aumento de produtividade.”

Para saber mais sobre as inovações da Xerox no trabalho e conhecer mais destaques como este sobre colaboradores, visite: A inovação em ação na Xerox

 

Agents of change

Todos nós mudámos o mundo. Todos nós. Cada gesto que fazemos tem infinitas repercussões sobre o mundo.

Mas poucos de nós têm a oportunidade de transformar muitas vidas para melhor. E menos ainda são desafiados a fazê-lo todos os dias. Esse é o desafio lançado diariamente aos cientistas de investigação da Xerox: procurar gerar a mudança.

Em contrapartida, damos-lhes tempo e espaço para sonharem. E depois os recursos para transformarem os sonhos em realidade, quer seja inventando novos materiais com funções incríveis ou utilizando a realidade aumentada para reforçar a memória dos pacientes com Alzheimer.

Temos orgulho nos nossos agentes da mudança nos centros de investigação da Xerox em todo o mundo. Eis algumas das suas histórias.