• Inovação em matéria de impressão respeitadora do ambiente

Agentes da mudança

Guerino Sacripante: Inovação em matéria de impressão respeitadora do ambiente

“Quando olhar para o que fiz na vida, quero poder dizer que fiz algo de positivo para a humanidade.”

Tinta sustentável

Cientista de polímeros do Centro de Investigação Xerox do Canadá, Guerino Sacripante sente uma profunda responsabilidade pessoal por reduzir a nossa dependência dos combustíveis fósseis. Os seus 30 anos em investigação e inovação estão a impulsionar-nos para um futuro em que as tintas e os toners de impressão têm cada vez mais origem em fontes renováveis com baixo impacto ambiental.

A execução de marcas é uma das coisas que nos torna humanos. A escrita existe desde que os antigos sumérios pressionaram pela primeira vez juncos afiados em argila e, por mais que utilizemos a digitalização, não somos capazes de nos separar do nosso gosto por símbolos impressos.

Estejam presentes em rótulos de alimentos, manuais de instruções, extratos bancários ou embalagens de cosméticos, esses símbolos continuarão a fazer parte da nossa vida por muito tempo. E esse facto, para o investigador da Xerox, Guerino Sacripante, significa que há uma necessidade urgente de repensar a forma como imprimimos e os materiais com os quais imprimimos.

Recyclable materials

 

30 anos de inovação

Cientista de polímeros do Centro de Investigação Xerox do Canadá (XRCC), Guerino Sacripante dedicou a sua carreira de 30 anos à descoberta de formas de impressão mais eficientes. Durante esse tempo, tornou-se um dos inovadores mais prolíficos da Xerox, recebendo mais de 240 patentes pelo seu trabalho em novos compostos de toner e processos de impressão.

“Hoje, a maioria das máquinas xerográficas usa pó seco de toner feito de minúsculas partículas de plástico”, explica Guerino. “Esse plástico é derivado de combustíveis fósseis que hoje abundam, mas vão começar a esgotar-se. As partículas precisam de ser aquecidas até derreterem e isso consome energia. Depois o plástico derretido limita a reciclabilidade do material impresso. Todo o ciclo de vida coloca pressão sobre o meio ambiente.”

 

Um desafio pessoal

Quando Guerino começou a trabalhar no desafio de tornar a impressão mais sustentável, tirou proveito de uma política da Xerox que permite que o pessoal nos seus centros de investigação dediquem tempo a projetos pessoais.

“Existem projetos cruciais nos quais temos de trabalhar”, explica. "Mas também somos incentivados a usar 10% a 20% do nosso tempo para explorar as nossas próprias ideias. Se demonstrarmos que a nossa ideia tem potencial, pode tornar-se no nosso grande projeto e podemos passar 80% a 90% do nosso tempo a desenvolvê-la. Foi assim que me lancei na questão da sustentabilidade.”

Guerino começou por analisar alguns dos problemas inerentes à reciclagem do papel. Uma das etapas da reciclagem envolve a remoção da tinta do papel impresso, para que o papel sem tinta seja transformado em pasta de alta qualidade. A composição química do toner tem uma influência significativa sobre a eficácia da sua remoção.

A sua investigação levou-o a identificar e patentear um novo tipo de resina aglutinante que permite que o toner seja removido com mais facilidade, particularmente em fábricas de pasta de papel de menor dimensão.

Mas não tardou a transferir o seu foco na sustentabilidade do papel para a tinta. Há muitas maneiras de reduzir o impacto ambiental da tinta de impressão, desde a identificação de fontes mais sustentáveis de polímeros, o desenvolvimento de compostos com um ponto de fusão mais baixo até à redução da quantidade de embalagens e resíduos associados à impressão.

 

A busca de polímeros de toner sustentáveis

A investigação de Guerino levou-o a analisar todas estas áreas e mais, em busca de soluções sustentáveis e comercialmente viáveis. “O desafio”, diz ele, “é obter o material, fabricá-lo e conseguir oferecê-lo ao mesmo preço. Existem muitas alternativas potenciais economicamente viáveis aos polímeros baseados em produtos petroquímicos, mas é preciso considerar todo o ciclo de vida.”

Algumas opções que inicialmente pareciam atraentes falharam no teste de sustentabilidade. "É possível produzir etanol a partir de milho e derivar daí polímeros, mas o processo é insustentável por causa da energia necessária para extraí-los e transformá-los."

 

Polímeros naturais de madeira e plantas

Uma solução muito promissora está na biomassa. Algumas das patentes mais importantes de Guerino estão relacionadas ao uso de resina e lignina como uma alternativa aos polímeros petroquímicos (plásticos). Ambos são polímeros que ocorrem naturalmente em abundância e estão presentes na madeira e nas plantas. São adequados para tintas e toners de impressão e o importante é que têm um ciclo de vida ambiental positivo, com relativa eficiência em termos de extração e transformação e sendo biodegradáveis​após o uso.

Graças ao trabalho realizado por Guerino e pelos colegas, a Xerox foi uma das primeiras empresas a adotar com sucesso tintas sustentáveis nos seus produtos. Os toners de tinta sólida da Xerox, por exemplo, têm um conteúdo 30% renovável e uma embalagem mínima, enquanto o ecotoner EA tem um ponto de fusão ultrabaixo para reduzir o consumo de energia. O pequeno tamanho das suas partículas significa que são utilizados menos 40% de toner por página impressa.

Gloved hands holding an eyedropper

 

Superar o desafio económico

São grandes passos em frente, mas Guerino afirma que ainda há um longo caminho a percorrer. Uma das maiores barreiras ao progresso é a economia pura. "A viabilidade financeira de toners sustentáveis​flutua com o preço do petróleo", refere. “Quando o petróleo está a 150 USD por barril, a produção de tintas de origem biológica começa a parecer muito atraente. Quando o preço desce, é muito mais económico produzir toner a partir de produtos petroquímicos. O grande desafio é criar um produto sustentável para vender ao mesmo nível de preço do toner tradicional.”

A alternativa é persuadir as empresas a pagar mais por toner de fontes renováveis. Guerino ressalta que existem contrapartidas: alguns polímeros de toner derivados de biomassa têm um ponto de fusão mais baixo do que os polímeros petroquímicos, por exemplo, o que significa que as impressoras e os copiadores consomem menos energia para aquecer a tinta.

"Este aspeto começa a ter uma grande influência, especialmente em países onde a eletricidade é mais cara do que nos EUA", diz Guerino. "As pessoas estão a procurar ativamente equipamentos de baixo consumo energético, pelo que é bem possível que estejam dispostas a pagar mais pelo toner, se o consumo de energia diminuir.”

Recycle symbols

 

A legislação como catalisadora de mudança

O governo pode ser outro catalisador de mudança. "Os regulamentos futuros podem exigir que uma certa quantidade de material impresso seja proveniente de fontes sustentáveis, o que estimulará a aceitação de toners sustentáveis".

Mesmo sem legislação, Guerino vê certos setores industriais a migrar em massa para tintas biorrenováveis. “A indústria alimentar está, sem dúvida, muito interessada em alternativas aos toners baseados em produtos petroquímicos para a impressão de etiquetas e embalagens. O desafio, como sempre, é encontrar a combinação certa de materiais sustentáveis, com uma análise positiva do ciclo de vida. Mas neste momento estamos muito próximos dessa meta.

 

A próxima fronteira: impressão 3D sustentável

A sustentabilidade continua a ser um problema com o alargamento da impressão a novas dimensões. Uma das áreas atuais de investigação de Guerino é o desenvolvimento de materiais seguros e sustentáveis para impressão 3D, como uma alternativa aos materiais de impressão termoplásticos existentes que são derivados de produtos petroquímicos ou que comprovadamente libertam compostos orgânicos voláteis (COV) nocivos quando aquecidos.

"Estamos nas fases iniciais do desenvolvimento de composições biorrenováveis para impressão 3D", diz Guerino. "Mas estou confiante certeza de que poderemos criar materiais de impressão de alta qualidade e a custo mais baixo que ajudarão a tornar a impressão 3D mais acessível aos consumidores e aos fabricantes."

3D printer

 

Um foco no laser

Guerino está determinado em continuar a sua investigação sobre gestão ambiental. "É uma missão pessoal para mim", afirma. “Quando olhar para o que fiz na vida, quero poder dizer que fiz algo de positivo para a humanidade. Se puder contribuir ativamente para que abandonemos os combustíveis fósseis, será um contributo tangível que há de trazer melhorias todos.”

“Quando olhar para o que fiz na vida, quero poder dizer que fiz algo de positivo para a humanidade. Se puder contribuir ativamente para que abandonemos os combustíveis fósseis, será um contributo tangível que há de trazer melhorias todos.”

 

Agents of change

Todos nós mudámos o mundo. Todos nós. Cada gesto que fazemos tem infinitas repercussões sobre o mundo.

Mas poucos de nós têm a oportunidade de transformar muitas vidas para melhor. E menos ainda são desafiados a fazê-lo todos os dias. Esse é o desafio lançado diariamente aos cientistas de investigação da Xerox: procurar gerar a mudança.

Em contrapartida, damos-lhes tempo e espaço para sonharem. E depois os recursos para transformarem os sonhos em realidade, quer seja inventando novos materiais com funções incríveis ou utilizando a realidade aumentada para reforçar a memória dos pacientes com Alzheimer.

Temos orgulho nos nossos agentes da mudança nos centros de investigação da Xerox em todo o mundo. Eis algumas das suas histórias.